Make your own free website on Tripod.com

ECOS DO 82º CONGRESSO UNIVERSAL DE ESPERANTO

 

 

           Kofi A. Annan, Secretário-Geral da ONU, endereçou seguinte mensagem aos esperantistas reunidos em Adelaide, Austrália :

           "Saúdo com alegria os membros da Associação Universal de Esperanto, reunidos em Adelaide para o seu 82º congresso.

           O tema de vosso congresso  - Tolerância e justiça numa sociedade pluri-cultural -, constitui-se numa questão essencial para muitos homens. No mundo de hoje, somos defrontados por duas tendências contrárias entre si. Muitíssimos aspectos de nossa vida -econômicos, sociais e culturais--se entrelaçam em escala mundial, unindo a Humanidade, hoje mais do que nunca. Ao mesmo tempo, também atuam forças estabelecendo divisões e subdivisões de blocos, nações e até cidades.

           A língua tem seu papel nessas duas tendências. Ela tanto pode unir os homens como ser usada para desuni-los e mantê-los afastados, uns dos outros. Pode ser um instrumento de reconciliação, tanto quanto uma arma.

           A ONU nasceu com o objetivo de servir como centro harmonizador da atividade das nações, em busca do estabelecimento de relações amistosas e da colaboração internacional. A intercomunicação é absolutamente fundamental para esse objetivo. Temos uma mensagem a proclamar--mensagem centrada na justiça na tolerância e nos direitos humanos. A Organização depende das inúmeras entidades não-governamentais que com ela colaboram no sentido de transmitir essa mensagem aos homens, particularmente em nível local.

           Sou grato a Universala Esperanto-Asocio pelo seu trabalho por incrementar a Língua como meio de unir os homens, bem como pelo seu desejo de celebrar a Declaração Universal dos Direitos Humanos, ao aproximar-se o cinqüentenário de sua aprovação. Espero que, regressando a vossas comunidades, ajudareis a atrair as atenções para essa conquista que é um marco nos esforços por assegurar a todos uma vida digna.

           Desejo-vos uma semana agradável e proveitosa em Adelaide. "

           Também se fez ouvir a tradicional mensagem do Dr. Louis C. Zaleski-Zamenhof, neto do imortal criador do Esperanto, definindo, em poucas palavras, os reais objetivos da Lingua Internacional:

           "Aceitai, eu vos peco, minhas sinceras expressões de boas-vindas. Desejo ao 82º Congresso Universal de Esperanto, reunido em Adelaide, pleno sucesso e que seus ecos ressoem bem alto no hospitaleiro continente australiano.

           Vamos discutir sobre tolerância e justiça em uma sociedade pluricultural, tema sempre atual em todos os continentes do globo. Não nos esqueçamos de que justamente esse tema exprime as idéias básicas presentes no próprio nascimento da Língua internacional. A tolerância implica compreensão: o objetivo original do Esperanto foi exatamente servir a essa compreensão no selo da sociedade pluricultural e plurilingüistica ao tempo de seu surgimento. Servir sem qualquer tipo de ameaça a uma ou outra dessas característica, ameaça que poderia representara eventual imposição de uma Lí ngua nacional e de sua cultura Esse objetivo é a inspiração constante de nosso movimento.

           Estimadas senhoras e senhores, para poder merecer o vosso perdão por haver proclamado verdades um tanto surradas, atrevo-me a acrescentar uma banalidade suplementar: É certo que podemos comunicar-nos com êxito, usando línguas nacionais estrangeiras. Mas com o Esperanto não se estabelece apenas comunicação; tecem-se laços de amizade... graças justamente à tolerância e à justiça , veiculadas pela Língua internacional. "

           Da Resolução unanimemente aprovada e que se constituiu numa lúcida visão do atual problema lingüístico mundial, colhemos os seguintes interessantes tópicos:

           bolinha-vm.gif (870 bytes)  o funcionamento harmônico de uma sociedade pluri cultural só é possível sobre as bases da justiça e da tolerância;

           bolinha-vm.gif (870 bytes)  o respeito aos direitos lingüístico, bem como a tolerância lingüística são elementos essenciais pare a justiça e a tolerância sociais.

           A Resolução argumenta que, se num pais de sociedade pluri cultural há necessidade de uma lingua comum, com igual razão haverá necessidade, na sociedade pluri cultural do Planeta, de uma lingua NEUTRA comum, lingua que todos possam aprender com facilidade pare comunicar-se em condições de igualdade com os outros membros dessa sociedade planetária pluri cultural. O Esperanto já demonstrou que pode desempenhar esse grave papel de língua internacional neutra.

           Finalmente, mencionamos belas conquistas da Associação Universal de Esperanto e da Liga Brasileira de Esperanto, no quadro do Congresso. A Associação Universal foi mantida na imensa família da UNESCO, agora na categoria de entidade em relações operacionais, por decisão do Comitê Executivo e segundo expresso desejo do Diretor Geral, Federico Mayor, cujo relatório assim termina: "O importante trabalho desenvolvido pela Universala Esperanto-Asocio pare divulgar a mensagem da UNESCO e incrementar os seus ideais, através de sues redes de informação, não pode ser desprezado". Nessas condições, chegaram a crescer as chances de o movimento esperantista mundial, representado pela UEA, receber subvenção pare concretizar seus projetos no campo da intercomunicação.

           A Liga Brasileira de Esperanto, num feito sem precedentes, recebeu pela segunda vez o troféu Fyne, destinado às associações esperantistas nacionais que tiveram o major crescimento proporcional de membros individuais nos dois últimos anos e, também, contribuíram significativamente pare o progresso da Universala Esperanto-Asocio. A Liga também se destaca por possuir um dos maiores números de representantes da UEA, além de se destacar no movimento mundial pela beleza e qualidade do seu órgão oficial, o Brazila Esperantisto, pelo excelente serviço de venda de livros e pelos concorridos congressos nacionais.

           Finalizamos, lembrando ao leitor que Emmanuel, a respeitável entidade espiritual que tanto tem trabalhado por evidenciar o caráter cristão do Espiritismo, identifica no Esperanto um dos "núcleos de organização espiritual que se instalam na Terra com vistas ao porvir da Humanidade". Passemos-Ihe a palavra, expressa na famosa mensagem A Missão do Esperanto, ditada a Francisco Cândido Xavier em 19 de janeiro de 1940: "(...) Se por toda parte observamos o esboroamento das obras humanas, a fim de que se renove o caminho da civilização, contemplamos também as atividades do exército de operários das edificações do futuro, como se fossem construtores de um mundo novo, dispersos nas estradas terrestres, procurando ajustar suas diretrizes. São esses, sim, os artífices do progresso divino. Empunham o alvião formidável da fé acima de tudo naquele que é a luz dos nossos destinos. No acervo desse aparelhamento de energias renovadoras, objetivando o vindouro milênio, quero referir-me ao Esperanto, abraçando fraternalmente o nosso irmão que se constituiu em obreiro sincero da sua causa*, obedecendo ao determinismo divino das tarefas recebidas nas luzes do piano espiritual(...)"                             (A.S.)

* Ismael Gomes Braga

( artigo da revista Reformador nº 2028,  março, 1998 )

[ Voltar ]